As ruínas da velha injustiça colonial paulista, por Fábio de Oliveira Ribeiro. 0

-Vamos lá ver mais vovô? -Vá você meu neto. Eu estou velho e cansado. Ficarei aqui sentado esperando você. Qualquer dia destes o seu pai vai levar você para ver as ruínas da Igreja Nova lá em Sobradinho e do STF lá em Brasília. E então você poderá comparar estas ruínas com duas outras. Extraído do GGN.

Ler Artigo

Freire: este prêmio sou eu. Por Alexandra Lucas Coelho. 0

1. A cerimônia de entrega do Prêmio Camões, o maior da língua portuguesa, sexta-feira passada, em São Paulo, foi um retrato do que está em curso no Brasil, mas não só. Revelou a que ponto um ministro não distingue Estado e governo, confundindo-se a si mesmo com um prêmio. E como querer separar cultura e política leva a uma política sem cultura. Extraído do Tijolaço.

Ler Artigo

Agressão de Freire a Raduan Nassar não é só grosseria, é ignorância. 0

O ministro da Cultura, Roberto Freire, em lugar de absorver, civilizado, as críticas do escritor Raduan Nassar ao governo de Temer, e responder com espírito (que não tem) e inteligência (que lhe falta) resolveu partir para o “coice” na entrega do Prêmio Camões ao romancista, sugerindo que ele devolvesse a premiação que, em parte, é subvencionada pelo Estado brasileiro e por Portugal. Extraído do Tijolaço.

Ler Artigo

Leituras de um brasileiro: ‘As cores da literatura’. 0

Em um país como o Brasil, em que predominam negros e mestiços, um cânone literário no qual abundam homens brancos é, no mínimo, historicamente enviesado. Extraído do Carta Maior.

Ler Artigo

Leituras de um brasileiro – ‘E agora José, de que lado você samba?’ 0

Separar poetas e prosadores de suas ideologias faria do estudo da Literatura uma disciplinada alienada e alienante de suas condições sociais de produção? Extraído do Carta Maior.

Ler Artigo

Pablo Neruda, 112 anos. 0

As investigações de cientistas internacionais continuam ante a suspeita de que Neruda não morreu por causas naturais. Exraído do Carta Maior.

Ler Artigo

Palmério: até hoje se paga o preço de 1964. 0

O jornalista Palmério Dória acabou de lançar em São Paulo o livro “Golpe de Estado – O espírito e a herança de 1964 ainda ameaçam o Brasil”, que escreveu com Mylton Severiano – morto em 2014 – , e tem como pano de fundo a chegada dos militares ao poder em 64. Palmério é autor de dois clássicos da literatura política do Brasil. Extraído do Conversa Afiada.

Ler Artigo

O império norte-americano apodrecendo por dentro. 0

Em 1980, 50% ds estadunidenses pensavam que a próxima geração viveria pior que a sua. Hoje a cifra subiu para um assustador 80%. país vai descobrindo que é mais desigual que nunca, discrimina seus cidadãos, rouba seu dinheiro e seus serviços essenciais, destrói a classe média, o tecido social com que, durante muitas décadas, vestiu seu modelo de grandeza. Extraído do Carta Maior.

Ler Artigo

Um médico-leitor nos confins – por Milton Hatoum*. 0

Conversamos sobre Absalão, Absalão! e a tragédia da família Sutpen, que, de algum modo, é a tragédia do Sul dos Estados Unidos. O médico se lembrava de vários personagens, das cenas mais escabrosas e delirantes, de frases que expressam a estranha e poderosa poesia desse grande romance norte-americano. Extraído do Conversa Afiada.

Ler Artigo

Coleção BBB de Darcy Ribeiro: O Brasil apresentado aos brasileiros. 0

Em 1963, quando Ministro da Educação, Darcy Ribeiro viabilizou a publicação dos primeiros dez volumes da BBB com tiragem de 15 000 exemplares totalizando 150 mil livros. A proposta previa a publicação de nove outras edições com dez volumes cada, totalizando uma coleção de 100 títulos. Mas a continuidade do programa de edições pela UnB foi inviabilizada devido à truculência do regime militar. Extraído do Carta Maior.

Ler Artigo