Estamos atrás de denunciantes, não dos jornalistas: Departamento de Justiça defende punição para vazamentos confidenciais.

Estamos atrás de denunciantes, não dos jornalistas: Departamento de Justiça defende punição para vazamentos confidenciais.
agosto 08 10:46 2017 Imprimir este Artigo

RT News

bbc

O Procurador-Geral Adjunto, Rod Rosenstein, disse que seu gabinete ainda vai “responder apropriadamente” à questão do aumento de vazamentos nos EUA, e alertou que há a possibilidade de os repórteres, não apenas suas fontes, também tenham culpa no cartório.

 

“Não processamos jornalistas por fazerem seu trabalho. Olhamos para os fatos e circunstâncias de cada caso e determinamos se a pessoa cometeu um crime e se é apropriado responsabilizá-la”, disse Rosenstein em uma entrevista à Fox News Domingo.

 

No entanto, ele disse, podem haver exceções onde um repórter pode se tornar um suspeito em um caso de vazamento bem como sua fonte.

 

“Falando no geral, os repórteres que publicam informações não estão cometendo um crime. Mas podem haver circunstâncias em que estão. Sabe, não tenho visto ultimamente, mas eu não descartaria o fato de que pode haver um caso em que um repórter propositalmente viole a lei, então também pode ser um suspeito”, ele disse.

 

Uma nova unidade dentro do FBI foi criada “para  focar nesses vazamentos”, ele disse, adicionando que o governo “vai devotar quaisquer recursos necessários para controlá-los”.

 

“Processo criminal não é o único jeito de prevenir os vazamentos, mas é uma parte importante da solução”, ele disse.

 

“Estamos atrás dos denunciantes, não dos jornalistas”, alegou Rosenstein, adicionando que o Departamento de Justiça ainda não revisou nenhuma política com relação aos repórteres.

 

Ainda essa semana, seu chefe, Jeff Sessions, Procurador-Geral, descreveu a questão dos vazamentos no país como uma ameaça à segurança nacional, alertando sobre punições para aqueles que disseminarem informações sensíveis.

 

“Uma das coisas que estamos fazendo é revisar as políticas que afetam as intimações da imprensa” o que forçaria os jornalistas a testemunharem em tribunal e potencialmente produzir evidência, explicou Sessions.

 

Sob a lei de proteção dos EUA, os jornalistas estão protegidos sob os ‘privilégios dos repórteres’ que concede direito legal para eles não revelarem fontes confidenciais ou outra informação que prejudicaria a apuração de informação.

 

O Procurador-Geral também revelou que o Departamento de Justiça triplicou o numero de investigações em vazamentos não autorizados, condenando quatro pessoas até então. O Departamento recebeu quase o mesmo número de referências criminosas de vazamentos em comparação aos últimos três anos combinados, disse Sessions na sexta-feira.

 

Ele também notou que é responsabilidade dos trabalhadores das agências do governo de parar de vazar informação que diz respeito à segurança nacional. “Essa cultura do vazamento deve parar”, declarou.

 

FONTES:
http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/-u218Estamos-atras-de-denunciantes-nao-dos-jornalistas-u219-Departamento-de-Justica-defende-punicao-para-vazamentos-confidenciais-/6/38613

Créditos da foto: bbc