Kennedy Alencar: Dória, traição, doação e ambição.

Kennedy Alencar: Dória, traição, doação e ambição.
Maio 16 12:00 2017 Imprimir este Artigo

Por · 16/05/2017

doriatemer

Kennedy Alencar, um dos poucos comentaristas políticos da grande imprensa a conservar equilíbrio em suas análises, analisou intenções, ações e planos do prefeito de São Paulo. Publico parte do texto,boa análise que ele fez hoje cedo, na CBN:

Doações e mutirões de Doria fazem parte de plano presidencial

Kennedy Alencar, na CBN (trecho)

Doria tem um compromisso com o governador Geraldo Alckmin, que o lançou na política, e não pode quebrá-lo abruptamente, sob pena de ser acusado de traidor. Nos bastidores, porém, todas as ações do prefeito vão no sentido de construir uma imagem nacional e de se posicionar para virar o candidato do PSDB à Presidência.

Pesquisas já mostram hoje que ele é o tucano com melhor desempenho nas sondagens a respeito da sucessão presidencial de 2018. Logo, uma declaração recente sobre o candidato do PSDB vir a ser aquele que estiver melhor perante a opinião pública expõe os planos do prefeito.

Se depender da opinião pública, Doria vai engolir a candidatura de Alckmin, que já enxergou o risco. O governador tenta reagir buscando apoio na luta interna no PSDB e dando declarações de que se sente preparado para concorrer a presidente.

Alckmin, no entanto, tem uma pedra no sapato: responder a inquérito no STJ (Superior Tribunal de Justiça) por causa da Lava Jato, o que o enfraquece. Hoje, portanto, a tendência é Doria ser o candidato tucano em 2018.

Conta-gotas

Nos bastidores, empresários de São Paulo dizem que as políticas de doações e mutirões adotadas pelo prefeito têm o objetivo de criar rapidamente um volume de ações para dar destaque à administração municipal.

Doações e mutirões não são políticas públicas. São medidas de alcance limitado, sobretudo numa cidade do tamanho de São Paulo. Uma vez doados, equipamentos públicos, como novas viaturas, por exemplo, precisam de manutenção e custeio. Mutirões atacam pontualmente alguns problemas, mas rapidamente surgem novas emergências, como aconteceu no caso das consultas médicas.

Portanto, doações e mutirões são ações que não resolverão as imensas carências de São Paulo, especialmente na periferia.

O prefeito tem menos de 5 meses de mandato. Precisava mostrar serviço logo. Ele domina o marketing político nas redes sociais. A prefeitura tem baixa capacidade de investimento por conta própria devido ao enorme subsídio ao transporte público. Há um grupo de empresários que vê em Doria o anti-Lula e, por isso, organizou essa leva de doações para o prefeito ter o que mostrar rapidamente, enquanto não apresenta resultados de impacto em médio e longo prazo.

O efeito imediato dessas ações a conta-gotas é vitaminar o projeto presidencial que o prefeito nega publicamente, mas estimula nos bastidores e nas declarações nem tão dúbias assim.

FONTE: http://www.tijolaco.com.br/blog/kennedy-alencar-doria-traicao-doacao-e-ambicao/